Mas até onde Benjamin Tison irá? Esta é a pergunta que podemos nos fazer hoje.

De fato, o francês continua sua ascensão dentro do padel em todo o mundo, alcançando 62º lugar no ranking mundial World Padel Tour. Para esta ocasião pudemos conversar com ele e ouvir seus sentimentos sobre este novo salto em frente.

“Um grande orgulho”

“Pode-se dizer que é uma evolução rápida, mas deve-se principalmente ao facto de ter feito seis mesas finais. Tivemos um início de temporada muito bom com o Teo até que nos separamos. É bastante excepcional. O difícil é manter esse ritmo lá porque as prévias são complicadas. Atualmente, há três jogadores de previa que foram para 1/8, então eu vou cair, mas ainda podemos dizer que eu teria ficado em 62º (risos)."

"Brincadeiras a parte sim é um grande orgulho.

“Top 50 da meta?”

“O Top 50, sim, sou ambicioso, quero dizer a mim mesmo. Parece difícil alcançá-lo, mas farei tudo por isso. Estamos falando de jogadores que têm um grande nível, que são jovens e treinam todos os dias, mas farei o melhor que puder, mesmo sabendo que será complicado.

“Incrível que 5/6 franceses estejam se aproximando do Top 100”

"É verdade que eu só toco há sete anos padel incluindo quatro sem ter feito nenhuma aula, então é certo que se compararmos com os espanhóis, isso não é muito. O que me deixa feliz é que há alguns anos vi jogadores muito jovens, de 18 anos, que jogam desde a infância e que agora estão em prévia. Sinto que consegui acompanhar a evolução e o progresso desses jogadores.

É por isso que me faz sorrir quando vejo nas redes sociais que as pessoas dizem que os argentinos e os espanhóis estão a anos luz dos franceses. Eu vejo ao contrário. Em sete ou oito anos conseguimos ter apenas 5 ou 6 franceses que estão perto do 100º lugar do mundo. Acho isso incrível. Sei que o público tricolor é exigente mas é um feito que podemos existir. Acho incrível que estejamos tão perto deles."

“Claro que há duas ou três gerações atrás e não pense que nos próximos anos haverá franceses no Top 30. Há uma grande diferença e o nível está aumentando e nos próximos dez anos isso continuar, será muito mais difícil entrar no Top 50. Hoje os jovens sempre começam muito cedo nas aulas de padel e treinar cada vez mais fisicamente. É como o tênis de vinte anos atrás.

“Não neguei meus valores”

“Não conheço a história de todos, mas devo ser o único que, em tão pouco tempo, conseguiu entrar no Top 70. Depois, devo admitir que tive sucesso porque quando cheguei à Espanha estava tudo bem organizado, obrigado para Jérémy Scatena, tive um ótimo treinador direto, sem problemas. Além disso, rapidamente tive um parceiro espanhol que queria jogar comigo. Poucas pessoas sabem disso, mas alguns jogadores são obrigados a pagar jogadores mais fortes para jogar com eles. Não foi o meu caso e é um dos meus valores, por isso tenho orgulho de mim e mereço este lugar. Eu não neguei meus valores.”

“Com Martin temos um grande projeto e não vou desistir”

“A estreia com Martin é ainda melhor do que eu pensava em termos de nível de jogo nos treinos. Vencemos todas as duplas contra as quais jogamos. Novamente ontem jogamos contra jogadores do ranque 50 e conseguimos derrotá-los por 6/3 – 6/3. No entanto em nosso primeiro jogo em portugal fizemos uma falsa partida. Espero que tenha sido a emoção de jogar juntos que nos fez perder o jogo, em condições de jogo difíceis."

Martin Pineiro e Benjamin Tison

"No entanto, estou bastante confiante para o futuro. Temos um grande projeto e não vou desistir. Martin tem muita experiência e me ensina muitas coisas. Acho que vai me fazer progredir.
Além disso, ele é uma ótima pessoa fora de campo. Tenho muita sorte todas as vezes, seja com o Teo antes ou agora com o Martin, sempre tenho parceiros que são ótimos, com quem me dou bem. Além da aventura desportiva quando parti para Espanha também procurava viver uma aventura humana. Não me arrependo e a cada dia me aproximo do melhor. Vivo coisas muito bonitas em lugares incríveis, espero que continue”.

Sebastien Carrasco

Fã de padel e de origem espanhola, o padel corre em minhas veias. Muito feliz em compartilhar com vocês minha paixão através da referência mundial da padel : Padel Magazine.