Muito recentemente o Pimenta esteve no centro das notícias com oHistória de Federico Chingotto bloqueada durante as férias por causa de um teste positivo coronavírus quando teve que jogar uma exibição. Mas a informação real é que o padel no Chile está tomando outra dimensão.

A evolução de padel mundo parece ser um curso universitário de história. Temos países desenvolvidos, países em desenvolvimento (BRICS) e países subdesenvolvidos. Devemos agora adicionar o Pimenta à categoria de países em desenvolvimento, com Suécia, Itália, Portugal e outros.

O setor privado fornece o impulso

“Já jogamos padel no Chile, mas aumentou muito com a pandemia. Foi um dos primeiros esportes a poder retomar.”, explica Joaquín Aguad, jogador do padel por muitos e muitos anos no Chile. Suas palavras nos lembram a situação na Itália, que experimentou um boom com a pandemia.

“Vemos muitos clubes abrindo, mais e mais eventos. Mas o impulso é realmente privado. É também o seu lado economicamente rentável que ajuda a padel desenvolver. "

Esta é a razão pela qual as marcas veem este país sul-americano como um grande mercado potencial. Cada vez mais eventos permitem que os chilenos vejam as celebridades do padel.

“Nunca vimos um crescimento tão agressivo como o da padel. Atualmente existem 15 jogadores ativos, cerca de 000 campos disponíveis e nos clubes a procura aumentou cerca de 500% entre 300 e 2018”, pressione Fanny espinoza, representante da Drop Shot no Chile.

 

Treinando os jogadores de amanhã

“A nível da federação, não está suficientemente desenvolvido. Não tem recursos suficientes, e é por isso que não temos um circuito nacional. Isso tira o profissionalismo do esporte. É verdade que a federação está a fazer esforços na tentativa de organizar competições mas a este nível ainda há um longo caminho a percorrer. As alianças com as outras federações têm sido muito boas para poder disputar torneios FIP.”, continua Joaquín Aguad.

É verdade que estamos vendo cada vez mais jogadores chilenos no APT Padel Torre, ou na World Padel Tour com Javier Valdes em particular, mas Joaquín sabe disso, são as crianças de hoje que farão os campeões de amanhã.

“Profissionalmente, ainda nos faltam algumas coisas no momento. Temos jogadores muito bons, mas eles não treinam o suficiente. Agora os pequenos estão começando a jogar, e acho que em alguns anos alguns deles poderão se profissionalizar.”

Uma exposição com Juan Lebron

De 11 a 12 de janeiro acontecerá o “Pala Tour Fest”, evento de padel Chileno que contará com a presença do número 1 do mundo, Juan Lebron. Vários outros jogadores, como Federico Chingotto, Luciano Capra, Miguel Lamperti, Juan Martin Diaz, Lucas Campagnolo e Javier Valdes também se apresentarão.

Juan Lebron

“Você não pode perder, estarei com outros grandes jogadores. Vai ser um evento incrível e é minha primeira vez no Chile, então vamos aproveitar essa oportunidade”, disse Lebron em um vídeo nas redes sociais.

 

Por seus nomes, podemos adivinhar suas origens espanholas e italianas. Lorenzo é um poliglota apaixonado por esportes: jornalismo por vocação e eventos por culto são suas duas pernas. Ele é o cavalheiro internacional de Padel Magazine. Você o verá frequentemente em várias competições internacionais, mas também em grandes eventos franceses.