Desde o início da semana, a segunda edição doAPT Padel Torre Mestre Hublot Mônaco.

Esta é a oportunidade para Padel Magazine falar com Fabrice Pastor, Presidente da'APT Padel Redondo. Muitos tópicos foram discutidos, como o torneio atual, mas também o calendário para esta temporada ou a opinião do presidente sobre o que está acontecendo atualmente no planeta. padel.

“Objetiva um torneio por ano em Mônaco”

Quando você vê o quadro em que esta competição é disputada, é óbvio que a pergunta que todos nós nos fazemos é: por que não organizar um torneio todos os anos em Mônaco?

Fabrice Pastor responder : " Sim, sem dúvida, assinamos três anos com a SBM, é verdade que é difícil para o público porque é um formato pequeno mas acredito que com esta foto seja difícil mudar de lugar...

O principal objetivo deste evento é, obviamente, tornar a padel o mais visível possível”.

Danie Windahl Centre Court APT MONACO 2022

Outros destinos de prestígio também são validados no calendário do circuito, como Cidade do Cabo, Sevilha, Budapeste ou mesmo Cidade do México.

“Queremos que os locais e promotores escolhidos para os torneios sejam únicos no mundo porque estamos em uma longa estrada que não vejo parada.”

“A televisão é um divisor de águas”

“A ambição seria transmitir os jogos para que possam ser vistos por milhares de pessoas em todo o mundo e hoje isso é possível graças ao nosso canal APT Padel Passeio no Youtube. Claro, a televisão muda muito as coisas. Já vimos isso na América do Sul. Foi um grande sucesso! Acredito até que tivemos a melhor classificação do mundo de padel até hoje. Para falar a verdade, tivemos que cortar a retransmissão às 22h, porque logo depois houve uma partida de rugby “Pumas”, que é relativamente importante para o povo argentino e não foi transmitida. O canal nos deixou transmitir até o final da competição.

E principalmente o fato de ter assinado com uma rede na América do Sul é algo fundamental para países como o Brasil. Atualmente existem outros canais que estão cada vez mais interessados ​​no APT Padel Tour na Europa, mas por enquanto continuaremos com o streaming".

“Todos temos que trabalhar pelo esporte”

Nos últimos três meses a padel profissional experimentou uma reviravolta total e muitos rumores parecem ter se dispersado desde sobre uma possível reaproximação entre a APT Padel Tour e a Federação Internacional de Padel.

Duas semanas atrás Padel Magazine fez a mesma pergunta à Luigi Carraro (Presidente da FIP) em Doha sobre esta possível associação. Desta vez é a vez de Fabrice Pastor para nos esclarecer sobre este assunto.

"Não sei porque é Thomas (Johanson) quem cuida disso, muito honestamente acho que todos devemos trabalhar pelo esporte, se possível avançarmos juntos, mas acredito que é importante integrar todos. Eu sei isso O Thomas ligou para o Qatar, não quis fazer perguntas porque estou no meu circuito. Quando as decisões são reais, por que não falar sobre isso.

“Cabe ao FIP fazer o seu trabalho”

“O que você não deve fazer é anunciar coisas que não serão feitas. Premier padel tinha anunciado 10 torneios a 500 euros, no momento existem apenas três acredito (Nota do editor: no momento três datas de Premier Padel foram anunciados, além do torneio que aconteceu em Doha). Acho que a reviravolta foi boa porque os jogadores perceberam muitas coisas, mas as associações de jogadores não deveriam estar lá para impor regras. Miguel Semmler teve que assinar conosco. Ele recebeu um telefonema e no último momento ele não se comprometeu. Não acho que seja uma ligação do WPT...

No APT somos um circuito que anuncia datas e aumentos de preços, e tudo isso conseguimos. Continuamos a trabalhar para os jogadores com o desenvolvimento de torneios juniores, senhoras etc e eles não querem trabalhar conosco. Pessoalmente, acho que uma Federação Internacional deve cuidar de todos os jogadores do esporte, cabe a eles fazer o trabalho. Nós, neste caso, fazemos o nosso”.

“Uma fusão ou união inteligente, por que não”

Diz-se que as etapas do APT como outros circuitos poderiam ser tomadas por Premier Padel. Uma fusão ocorreria em torno do circuito do Catar.

"Uma fusão ou uma união inteligente porque não, já fazemos com o Federação Europeia de Padel (FEPA). Você não vai encontrar ninguém que diga que eu recusei um acordo esportivo. Estou aberto a qualquer possibilidade, mas obviamente numa lógica coerente para o padel."

“Um calendário fantástico”

“Budapeste, o ano passado foi um “Futuro”. Foi um sucesso. Por isso, logicamente decidimos organizar um Open com eles nesta magnífica cidade da Hungria. Estamos assim a abrir-nos à Europa de Leste, é muito importante para nós.

Este ano o calendário está fantástico. Anunciaremos na próxima semana onde será disputado o torneio italiano. Temos também Portugal, Madrid, um passo muito importante para nós porque é lá que se joga o Tennis Master 1000, na “Caja Magica”.

Em junho comunicaremos sobre a Master Final e o local onde será realizada. No momento existem duas cidades de dois continentes diferentes lutando por isso, mas não posso dizer mais nada no momento. Por outro lado, o que posso revelar a vocês é que estou trabalhando em duas competições adicionais para esta temporada nos continentes europeu e americano. Um seria um Open e o outro provavelmente um Masters. O ideal para mim este ano seria chegar a 17 torneios mais a Master Final".

Juan Tello e Paquito Navarro em torneios APT?

Estávamos discutindo com Juan Tello para vir jogar alguns torneios na Europa, e com Paquito Navarro, com quem tenho excelentes relações para uma competição na Suécia.

Não sabemos mais sobre essas discussões entre os jogadores e o circuito APT neste momento. Padel Tour, mas seria completamente louco ver esses dois monstros disputando torneios neste magnífico circuito.

Assista agora a entrevista completa no vídeo abaixo.


Sebastien Carrasco

Fã de padel e de origem espanhola, o padel corre em minhas veias. Muito feliz em compartilhar com vocês minha paixão através da referência mundial da padel : Padel Magazine.