Em 5 anos a paisagem de padel O francês estava chateado: adeus às regiões onde não havia um único motivo de padel, adeus às regiões que deveriam ser “vazio de bons jogadores de padel", até a próxima "clubes que quase nunca realizaram torneios“. Para os mais competitivos, você pode encontrar um sapato que combina com você”quase” em todos os lugares agora todo fim de semana e até mesmo durante a semana.

Se obviamente existem, como em todos os esportes, regiões fortes e regiões menos fortes, pudemos observar, ainda recentemente, durante o P1000 na Reunião Padel clube, deixe o nível progredir em todos os lugares!

Hoje, os melhores jogadores franceses devem permanecer sérios nessas duas categorias que são o P1000 e o P2000,  “mesmo se observarmos que os P1000s se tornaram os P500s de 2 anos atrás” muitos jogadores nos explicam.

Vemos surpresas, novos rostos chegando ao padel. Alguns até investem quase como profissionais, com fortes ambições.

Paradoxalmente, o nível cai principalmente em torneios mais amadores. Você vai entender que na realidade isso é uma notícia muito boa !

A rede territorial e essa massa de novos players

A rede territorial incentivada pela Federação Francesa de Tênis está dando frutos. Hoje você tem que padel praticamente em todos os lugares. Quem diz novas faixas, diz novos jogadores de padel. E, inevitavelmente, esses novos jogadores não são necessariamente os melhores jogadores do mundo, pelo menos inicialmente (sejamos otimistas).

Principalmente entre os homens, apreciamos a competição e vemos muitos jogadores desembarcando nas categorias P100/P250 e P500.

P100 / P250: essas duas categorias se tornaram torneios de lançamento para novos jogadores de padel.

Os P250s, onde você pode acabar com muitos dos melhores jogadores 200/300, está praticamente acabado. O P500, onde às vezes nos encontramos com muitos top 100/50 nas grandes cidades, também está em processo de desaparecimento.

Mais jogadores e uma oferta crescente

Além disso, a outra novidade é que não são apenas os top 200/300 que são consumidores regulares de torneios padel. É um grande desenvolvimento.

E os clubes entenderam isso oferecendo competições regularmente, com a aparição desses famosos torneios durante meio dia, às vezes até uma noite. Agora também temos vários torneios no mesmo clube na mesma semana, ou seja, a mudança em relação a antes do início da crise do COVID.

Essa quantidade de torneios de padel deve ter tido um impacto no nível.

"Os clubes oferecem todas as semanas. De repente, os jogadores selecionam, movem-se menos, ficam no próprio clube. O jogador padel estabelecidos. 

Antes, víamos muitos jogadores de topo se moverem para um evento de P500 e especialmente P1000. Agora está quase no fim, exceto por torneios muito específicos ou por oportunidade” declara concorrente.

Inevitavelmente, quanto maior a oferta, mais os jogadores estão espalhados por diferentes competições.

O nível das categorias despencou

Em menos de 2 anos, podemos dizer que as categorias perderam um nível.

  • Os P100s tornaram-se torneios muito orientados para o “lazer”.
  • Os P250s se tornaram nossos antigos P100s.
  • Os P500s, nossos antigos P250s.
  • Os P1000s, nossos antigos P500s.

É certo que isso se explica pela explosão na oferta de torneios, mas também pela política seguida pela FFT que criou uma nova categoria de elite (anteriormente P1000): o P2000.

Sem falar na possibilidade de os jogadores participarem de torneios padel até P500.

A FFT assume e assina. O objetivo: o lazer, o amador e o aumento do número de licenciados.

A fusão P100 / P250

Quem disse que não havia mais P100s? Esses torneios ainda estão muito enraizados no cenário de torneios de padel. Mas até quando?

De fato, hoje, alguns clubes não veem mais interesse em oferecer um P100 enquanto pelo mesmo preço podem montar um P250.

“Gostemos ou não, os jogadores são competidores, mesmo que continue sendo muito amador. E é melhor oferecer a eles um P250 do que um P100. Os jogadores fazem a lei e não o contrário. Se eu oferecer um P100 e o clube vizinho fizer um P250, você entenderá o que está acontecendo mesmo entre quem é iniciante” explica um árbitro habituado à organização de torneios de padel.

Entende-se que os jogadores se voltarão mais facilmente para um P250 do que para um P100.

Os P250s de 1 a 2 anos atrás passaram por uma transformação completa por 2 motivos:

  1. Os muitos novos jogadores interessados ​​em ganhar pontos.
  2. A nova regra da FFT que não exige mais que os clubes ofereçam prêmios em dinheiro para um P250.

Consequência direta: o P250 se tornou uma bela cenoura para os jogadores que estão entrando na competição como o P100 e que querem tentar somar pontos rapidamente.

A concorrência é mais forte, mas menos concentrada

Alguns acreditam que os P250s ou os P500s não são mais aqueles torneios onde você poderia encontrar certos pares grandes no circuito, que não há mais essa concentração de jogadores bem ranqueados nos P500s como havia em um determinado período, ou mesmo que "Os P2000s de hoje são os P1000s de dois anos atrás em termos de nível".

A competição é mais forte por fazer parte da seleção da França. Mas pela multiplicidade de competições, o fato de ter até dois P1000s por semana, muitas competições P500 ao mesmo tempo nas mesmas regiões, competições internacionais cada vez mais presentes, sem falar no tempo e custo financeiro, inevitavelmente, há uma dispersão dos melhores jogadores franceses.

Novos jogadores não vêm apenas do tênis

É certamente uma das maiores reviravoltas na evolução do padel na França. Desde o COVID, vimos chegar muitos novos jogadores que nem sempre tiveram sensibilidade aos esportes de raquete e muito menos ao tênis.

Conclusão: o nível iniciante e intermediário diminui e, portanto, o nível de competição para esses jogadores também diminui.

É realmente uma notícia muito boa para o nosso esporte, ver todos esses perfis desembarcando em nosso esporte. De certa forma, no longo prazo, o nível médio francês se tornará hispânico. O mercado espanhol é um bom exemplo do que nos espera.

Com mais de 2,5 milhões de praticantes, incluindo muitos iniciantes que nunca praticaram esportes de raquete antes, a Espanha se beneficia de um nível médio inferior ao encontrado na França. E apesar disso, os melhores jogadores estão na Espanha, não na França! CQFD…

Franck Binisti

Franck Binisti descobre o padel no Club des Pyramides em 2009 na região de Paris. Desde a padel faz parte da vida dele. Você costuma vê-lo viajando pela França para cobrir grandes eventos em padel Francês.