Para o seu primeira seleção da seleção francesa, Jean-Thomas Peyrou está obviamente muito feliz por fazer parte do grupo que irá voar para o Campeonato Europeu em Marbella.

“Provei que tinha nível para entrar na equipe”

Padel Magazine : Primeira seleção na seleção francesa de padel para você, você achou que isso seria feito tão rapidamente eventualmente?

Jean-Thomas Peyrou: Acho que todos os planetas estavam um pouco alinhados para mim. Robin se tornou gerente, então ele liberou um lugar à direita. As condições para Max ingressar na seleção ainda não foram atendidas. Treinei, sou o 4º jogador francês, me preparei muito bem para o camp. Mas a competição é dura, há muitos jogadores que jogam muito bem na França, poderia muito bem ter sido outra. Estou muito orgulhoso e feliz pelo treinador ter me escolhido. Adorei o discurso que ele fez comigo.

Padel Magazine : Você acha que o estágio fez a diferença? O fato de jogar com Adrien Maigret também?

Jean-Thomas Peyrou: Sim, obviamente, o treinador fez-nos perceber que se tratava de um campo de selecção. Cheguei o mais preparado possível, treinei muito fisicamente, cheguei pronto. Joguei muito bem com todos os parceiros, então obviamente acho que fiz pontos em campo e provei que tinha nível para entrar no time.

Jogar com Adrien, é claro, também ajudou a inclinar a balança a meu favor. Conseguimos fazer alguns torneios internacionais, especialmente na Itália, onde derrotamos o par número 3 italiano em dois sets. Consegui montar uma estrutura ao meu redor em Bordeaux que me permite ter tempo para jogar com muitos ajudantes, patrocinadores, uma academia de alto nível dentro do Grande Padel Bordéus, com preparador físico. Procuro profissionalizar este esporte o máximo possível, e necessariamente entre o projeto com o Adrien e o que coloco no lugar no padel, que inevitavelmente ajudou.

JT peyrou big padel cesta de bolas

“Titular, não titular: eu não me pergunto!”

Padel Magazine : Quem são os jogadores com quem se sente melhor em campo?

Jean-Thomas Peyrou: Adorei jogar com o Adrien, tivemos um ótimo primeiro jogo onde funcionou muito bem. Temos uma química excelente, juntos conseguimos jogar a um nível muito interessante. Eu também adorei brincar com Jo (nota do editor Johan Bergeron). Achei ele ótimo comigo, super calmo, sempre no positivo. Eu tenho uma pequena anedota sobre este assunto. Certo uma bajada de forehand, a certa altura cometi um erro e ele imediatamente veio até mim dizendo que era ótimo porque os adversários podiam pensar que a partir de agora eu era capaz de fazer essa jogada com tanta franqueza que o achei ótimo em atitude.

Um pouco desiludido com o meu último jogo com Jérémy Scatena, tivemos muitos jogos de treino juntos no passado quando fui me juntar a ele em Barcelona, ​​estamos hiperligados mas no último encontro ele e eu acusámos o golpe do 5º jogo, estávamos muito cansados ​​mas adoro jogar com ele.

Padel Magazine : Hoje você se vê mais como substituto ou como titular?

Jean-Thomas Peyrou: Somos uma equipa, somos 8 jogadores. Obviamente, os jogadores se destacam. Estou pensando em 5 jogadores indestrutíveis. Então é a escolha do treinador. Eu não me pergunto, portador, não portador. Se Alexis chamar Thomas, Jerome ou eu como o sexto homem, ambos responderemos presente. Estaremos completamente atrás de um ou de outro, a competição é super saudável e acho que muitos fatores entram em jogo. O estado moral, o estado físico de cada um, o entendimento com o parceiro com quem vamos jogar, as condições de jogo, os adversários. A escolha do criador dependerá desses parâmetros.

JT Peyrou Jérôme Inzerillo

“O mais importante em padel, é a equipe ”

Padel Magazine : Podemos dizer que esta seleção é um sonho tornado realidade para você?

Jean-Thomas Peyrou: Um sonho não, por outro lado é um grande orgulho poder fazer parte da seleção francesa de padel. Acho que envia uma grande mensagem, apesar da minha idade. Tenho 36, não 37 (risos), mas me sinto muito jovem na minha cabeça. Eu sou novo no padel , Comecei os meus primeiros torneios em agosto de 2017. Acho que a minha seleção transmite uma mensagem muito forte: com trabalho, paixão, ambições, boa vontade, podemos fazer grandes coisas e sinto-me bem melhor preparado do que jovens de 20 anos!

JT Peyrou Adrien Maigret FIP ​​Itália selfie

Padel Magazine : Digamos que você não tenha o estilo de jogo mais agressivo, você acha que isso pode ser uma desvantagem?

Jt Peyrou durante padel grande vôlei de backhand padel

Jean-Thomas Peyrou: Eu realmente não concordo. Para mim, na França, consideramos o padel muito individual. Nós tendemos a colocar os jogadores nas boxes: o zagueiro, ele não bate muito forte, ele não tem talento ... Eu acho que a capacidade de treinar é um talento.

Vejo o que está acontecendo na Espanha e para mim o mais importante é a equipe. O entendimento entre dois jogadores é o mais importante. Sim obviamente não tenho o melhor par 3, mas sou capaz de reequilibrar o jogo por trás, trazer toda a minha boa vontade, fazer meu parceiro jogar bem e acho que essas são qualidades pelo menos tão importantes quanto ter um grande estrondo.

a equipa Padel Magazine tenta oferecer a você desde 2013 o melhor de padel, mas também pesquisas, análises para tentar entender o mundo de padel. Do jogo à política do nosso esporte, Padel Magazine está ao seu serviço.

Identificações