Concentre-se em duas jogadoras bastante discretas que, no entanto, conseguem ter um desempenho muito bom em campo: Marie Lefevre e Mélanie Ros. Respectivamente 8º e 10º jogadores franceses, eles olham para trás em sua jornada e suas esperanças.

Le padel : um começo na competição

Franck Binisti: antes de falar do futuro, você pode dizer, para quem não te conhece, como você entrou no padeEU ?

Maria Lefèvre: Comecei no Nacional Padel Xícara. Além disso, foi com você Franck, na época em que você lançou e organizou o NPC com a Copa Nacional de Tênis. Tivemos nosso primeiro torneio de padel e adorei o ambiente.

Se bem me lembro, o segundo jogo foi contra Géraldine Sorel e Sandy Godard. Além disso, foram eles que me disseram para jogar à direita porque quando comecei estava errado na esquerda (sou canhoto).

No começo, tive muitos problemas com as janelas. E com o Covid, no tênis foi complicado. Então eu comecei a jogar padel que era permitido do lado de fora. Joguei muito e melhorei.

Depois, entre as mulheres, não há muitas de nós jogando, e chegamos ao top 20/30 rapidamente.

Melanie Ros : Como muitos jogadores, venho do tênis onde era 2/6. Depois, pratiquei muito tênis de praia até ser apresentado ao padel graças a Setteo. Então eu quase descobri o padel na competição por equipes em Málaga: há pior! Agora não toco em nenhuma outra raquete!

Discreto, mas top 10!

FB: Vocês são, respectivamente, 8º e 10º jogadores franceses. E, no entanto, você é muito discreto. Uma escolha, uma chance?

Maria Lefèvre: Não é uma escolha particular ser discreto. Temos resultados há um ano. Quando somos vistos nas tabelas, nunca somos esperados, mas no final abrimos caminho e ficamos no top 10.

Melanie Ross: Somos discretos, é verdade. Isso se deve ao nosso caráter, mas também provavelmente aos nossos resultados. Não conseguimos vencer uma das duplas favoritas até agora, apesar de partidas muito disputadas. Teria ajudado a nos fazer saber mais

FB: Quais você acha que são suas maiores vitórias, seus melhores resultados?

ML: No ano passado, no P2000 des Pyramides, juntamos Géraldine Sorel e Elodie Invernon. Fazemos 3 sets contra eles.

Também terminamos em nono no campeonato francês ao levar Vandaele / Invernon na segunda rodada, o que não é um empate muito favorável para uma segunda rodada. E atrás vencemos todas as nossas partidas.

Vencemos a dupla Detrivière/Ligi no ano passado. E durante o último P2000 das Pirâmides, tivemos dois match points contra Fiona Ligi e Laura Clergue, que ficaram atrás da final. Estamos um pouco abaixo, mas não estamos longe.

Esta derrota é uma pena porque a vitória poderia ter nos ajudado a obter este gergelim precioso para o estágio da equipe francesa estendida em Barcelona.

SENHOR: De qualquer forma, esta partida mostrou nossa regularidade em todos os torneios e nos incentiva a fazer ainda melhor.

“Fazendo nossos grandes jogos acontecerem”

FB: Falando da seleção da França, você espera fazer parte da seleção ampliada da França?

ML : Para mim, há uma dupla muito grande na frente e, na minha opinião, há 4 equipes na nossa frente. Para um lugar na seleção ampliada da França, acho, portanto, que para os 8º e 10º jogadores franceses, há uma oportunidade de ir para o Barcelona. Este já seria um primeiro passo antes de esperar ir mais longe. Mas isso significaria um compromisso muito importante por parte de Mélanie e de mim, porque a competição é muito dura.

Esperamos que o capitão nos peça para nos testar pelo menos.

Sabemos que ainda temos muito trabalho técnico e tático para superar. Estamos perfeitamente lúcidos sobre o fato de que tudo ainda precisa ser feito. É por isso que tentamos treinar o máximo possível e participar das maiores competições francesas.

SENHOR: Sabemos que há jogadores muito bons pela frente, mas melhoramos muito em um ano e sabemos que ainda temos muito espaço para melhorar. Nossa classificação e nossos resultados durante o P2000 necessariamente nos permitem pensar sobre isso. Seria uma recompensa para nós participar e, acima de tudo, uma oportunidade de progredir ainda mais.

Robin Haziza nos dá algumas dicas de tempos em tempos para melhorar. Estamos nos concentrando no momento em nossas partidas, nossas vitórias e nossas derrotas para melhorar a nós mesmos. O objetivo é que finalmente concretizemos todas essas partidas travadas contra as duplas favoritas.

De minha parte vai passar pelo fato de jogar mais (infelizmente não tenho uma faixa de padel menos de uma hora da minha casa. Basta dizer que jogar é muito complicado…), mas também ser treinado durante as partidas. Percebemos a importância dessa função graças a Fred Pommier, que nos treinou no P2000.

Hoje precisamos melhorar tecnicamente. Precisamos nos aproximar de um treinador e realmente começar a conversar padel. Não é segredo, você vai ter que treinar se quiser competir contra meninas que treinam! Mas estamos prontos para isso!

 
Franck Binisti

Franck Binisti descobre o padel no Club des Pyramides em 2009 na região de Paris. Desde a padel faz parte da vida dele. Você costuma vê-lo viajando pela França para cobrir grandes eventos em padel Francês.