Era previsível: pensávamos que com o fim da premiação obrigatória em dinheiro em 2024, o nível de P500 entraria em colapso. O resultado é claro: os P500 estão se tornando os P250 da época.

Torneios diurnos que estão se multiplicando

Com o boom das competições e a ultrapassagem da barra de 500 praticantes de acordo com a FFT, incluindo 60 mil competidores ativos, já observamos há dois anos uma queda no nível geral das competições. Excelente notícia, na verdade, porque demonstra o dinamismo dos clubes que oferecem inúmeros torneios e jogadores sempre prontos a participar.

Os formatos curtos estão se multiplicando: de fato, hoje, os torneios que acontecem durante um dia, ou mesmo uma noite, estão em alta. Sem dar números precisos, notamos que os clubes apreciam estes eventos. A vantagem é que permitem aos jogadores participar com mais frequência e com menor custo.

Por um preço médio de 20 euros por competição, pode jogar pelo menos duas vezes, e por vezes mais se ganhar. Como resultado, o custo por hora diminui para os jogadores.

Cada vez mais P500

Em relação ao P500, é completamente normal que, desde que a FFT eliminou a obrigação de premiação em dinheiro, esta categoria tenha se tornado mais popular.

Esta é uma situação que se repete. Lembremos que quando a exigência de prêmio em dinheiro P250 foi suspensa, muitos P100s foram transformados em P250s. Se a queda de nível no P500 for neste momento menos acentuada do que no P250 (com a proibição dos 500 primeiros no P250), é o fim dos pares híbridos que poderíamos ver nestas categorias com um jogador muito bom e Um iniciante. Pares que agora encontramos no P500.

A boa notícia é que agora é possível que jogadores de níveis inferiores ganhem um P250. E mesmo para o P500 pode haver vagas, dependendo da região. Com a multiplicação dos eventos e o fato de jogar um P500 em períodos ainda mais curtos, o nível tende a cair…

De certa forma, o que está a acontecer a nível regional/nacional em França também segue a tendência internacional com uma queda nos níveis dos torneios internacionais devido à multiplicação de torneios FIP todas as semanas, torneios FIP que permitem jogar em locais exóticos e assim diluir o nível de jogadores de padel, oferecendo a todos mais chances de sucesso em um teste.

No entanto, como acontece frequentemente, há excepções a esta tendência, sendo algumas regiões mais competitivas do que outras. É importante ressaltar que estamos falando aqui de uma tendência geral, e não de uma verdade absoluta aplicável a todos os torneios nacionais ou internacionais.

Franck Binisti

Franck Binisti descobre o padel no Club des Pyramides em 2009 na região de Paris. Desde a padel faz parte da vida dele. Você costuma vê-lo viajando pela França para cobrir grandes eventos em padel Francês.