Foco em Manon Garcia, que tinha surpreendeu a todos ao lado de Mai Vo durante o P1000 organizado pelo Big Padel Bordeaux em fevereiro passado.

“Sempre no tênis”

Padel Magazine : Para quem ainda não te conhece, pode se apresentar?

Mano Garcia: Tenho 33 anos, venho da região de Paris e estou em Lille há dez anos. Trabalho na Decathlon, sou gerente de compras da Artengo. Jogo tênis desde os 5 anos e nunca mais parei. Hoje estou em 36º lugar na França, na melhor das hipóteses eu tinha 20 anos. Hoje, ainda estou totalmente no tênis.

Padel Magazine : Quando você diz que gosta de tênis, isso significa que você treina todos os dias? Você viaja nos finais de semana para fazer torneios, joga competições internacionais etc. ?

Mano Garcia: Sim, eu treino ao meio-dia, na hora do almoço. Eu gostaria de treinar mais, mas eu realmente não posso com o meu trabalho. Eu só faço torneios franceses, o CNGT. Também jogo partidas de equipe com meu clube Tremblay-en-France na Pro A e também no exterior, na Bélgica e na Alemanha. Isso ainda me faz 70 jogos por ano. Pode-se dizer que tenho pelo menos um em cada dois fins de semana ocupados com tênis, o que não deixa muito tempo para mais nada...

"O padel, um esporte muito amigável”

Padel Magazine : Apesar de sua agenda lotada, você ainda consegue encontrar algum espaço para o padel ? Quando você começou a jogar? Gostou logo?

Mano Garcia: Eu joguei em padel pela primeira vez 4 ou 5 anos atrás, foi em Padel Atitude, para Lesquin. Gosto muito de todos os desportos de raquete e obviamente achei muito lúdico desde o início. Então, comecei a me divertir muito quando entendi um pouco a brincadeira com as vidraças. Quase todos os tenistas que praticam acabam se viciando em padel. É mais amigável do que o tênis, onde você está muitas vezes sozinho. Há um bom ambiente lá, e em campo temos prazer em encontrar soluções táticas como equipe, nos encorajando uns aos outros. E então nos vemos progredindo muito rapidamente, é obviamente agradável.

Infelizmente, eu realmente não treino com frequência. No ano passado, tentei jogar uma vez a cada duas semanas com Nastasia Boitier-Legourd, Marine Fontaine e um amigo. Mas lá eu tenho menos tempo. Funciona em fases, digamos: às vezes eu posso ficar três meses sem jogar, aí se eu tiver uma folga dos treinos e torneios de tênis, eu posso começar a jogar mais.

Padel Magazine : Vimos você muito confortável durante o P1000 feminino do Big Padel Bordeaux com Mai Vo (derrota na final), quais foram seus outros resultados em torneios?

Mano Garcia: Desde setembro de 2021, joguei três torneios. Joguei um P500 em Valenciennes com Lucie Allison, que ganhamos, depois um P1000 em Amiens com Séverine Bouchacourt (derrota nas quartas de final) e, portanto, este P1000 em Bordeaux com Mai Vo, onde perdemos na final.

Com Mai, nos damos muito bem dentro e fora de campo. Ela é muito mais forte do que eu, claro, mas nunca tínhamos jogado juntos antes deste torneio e acho que nos complementamos bem. Eu não necessariamente faço muito, mas coloco a bola nele, e Mai se move em todos os lugares e é muito agressiva, então no final funciona bem!

Invernon Soubrie Vo Garcia P1000 Big Padel 2022
Mai Vo e Manon Garcia perderam na final contra Élodie Invernon e Charlotte Soubrié

"Falaremos sobre isso em dois ou três anos... "

Padel Magazine : Quando é o próximo torneio com ela?

Mano Garcia: Quando nossos horários nos permitem... Gostaríamos de poder jogar torneios juntos, mas no momento é complicado. Se a oportunidade surgir, é claro que ficaremos felizes em jogar juntos, mas não estamos realmente disponíveis. Não conseguimos nos inscrever para as qualificações para o campeonato francês, nem para o último P2000. Devo dizer que hoje não quero cancelar um torneio de tênis para o padel.

Mas como estou no final da minha carreira de tenista, quando declinar um pouco mais, vou dar um pouco mais de tempo para padel !

Padel Magazine : Quando você deixar o tênis de lado, veremos você jogar todos os torneios do circuito francês como muitos fazem? Com a seleção da França em um canto da cabeça?

Mano Garcia: Quando eu parar de jogar tênis, com certeza vou querer descansar um pouco. Acho que não vou querer viajar tanto nos fins de semana. Voltaremos a falar disso daqui a dois ou três anos, mas no momento não consigo imaginar voltar à mesma dinâmica.

Quanto à seleção da França, espero que haja outros jogadores mais jovens para selecionar, em vez de uma garota de 35 anos que acabou de parar de jogar tênis! (Riso) Acho que necessariamente chegará um momento em que teremos jogadores jovens que não necessariamente virão do tênis, que jogarão padel por muito tempo, que terá um puramente padel e quem terá o nível para estar na seleção da França.

Xan é fã de padel. Mas também o rugby! E suas postagens são igualmente vigorosas. Treinador físico de vários padel, ele desenterra postagens atípicas ou trata de assuntos atuais. Também dá algumas dicas para desenvolver seu físico para o padel. Claramente, ele impõe seu estilo ofensivo como no campo de padel !