Maxime Forcin é o faz-tudo do PadelAtirou em Caen. Diretor esportivo e técnico do clube, ele usa chapéu duplo. Além disso, é um dos melhores jogadores franceses, ocupando a 20ª posição no ranking.

Quando P2000 PadelTiro Caen, Maxime Forcin respondeu a algumas perguntas de Vincent Gallié para Padel TV Mag, explicando a evolução padel na Normandia, sua associação com Dorian de Meyer e seus projetos nesta temporada!

Seus sentimentos sobre o estágio na seleção francesa

Foi muito bem. Mudaram um pouco o formato, tive a sorte de estar lá ano passado também e só jogamos partidas. Havia treinos todas as manhãs e jogos à tarde. Uniu o grupo. A atmosfera estava ótima, não houve uma única colisão.

Lindas promessas com Dorian de Meyer

Estamos invictos na França mas não internacionalmente. Perdemos no FIP Rise no Egito contra Maxime Moreau e Johann Bergeron. Até agora ganhamos um P1000 em La Rochelle e um P1500 no TSB Jarville, o próximo passo é P2000. Agora é mais fácil falar do que fazer.

O ADN de Padeltiro

O objetivo é desenvolver vários clubes em toda a França e criar uma bela geração de jovens com PadelAcademia de Tiro. No clube tenho entre 20 e 25 crianças de 5 a 12 anos. Começamos do zero, o objetivo é criar um ótimo grupo e mantê-los para que se tornem bons jogadores.

Jogador, mas também educador

Para as crianças que eu treino padel é o primeiro esporte deles, então o objetivo é conscientizá-los sobre as janelas o mais cedo possível, mesmo que isso esteja em seu DNA. Queremos aproximar-nos do nível de Espanha o mais rapidamente possível.

A evolução de padel na Normandia

O entusiasmo é enorme. É especialmente o nível médio que aumenta consideravelmente. Todo mundo começa a treinar sério. Quando o padel começou na Normandia, não havia treinador nem treinamento. O facto de tudo isto estar a evoluir, inevitavelmente, os jogadores vão progredindo e o nível médio vai evoluindo.

Aproveite as melhores oportunidades

Tenho um perfil um tanto incomum, sou pai há um ano, trabalho bastante paralelamente. Eu realmente não tenho um parceiro permanente, o objetivo é aproveitar as melhores oportunidades dependendo do torneio e como não sou uma pessoa que se organiza com rapidez suficiente e começo tarde, fico sem parceiro fixo.

Procuro fazer torneios com jogadores com quem me dou bem, para mim essa é a base. Tudo se faz um pouco pelo sentimento.

Quero fazer o melhor que posso sempre em campo, especialmente neste fim de semana para vencer o torneio, mesmo que ainda haja adversários bastante difíceis. Todos os jogos vão ser complicados, por isso teremos que aguentar firme e dar o nosso melhor.

Torneios FIP sempre em sua mente

Como estou participando de menos torneios, o objetivo é participar de grandes torneios, os FIPs são um deles. Fizemos um no Egito há um mês com Dorian, gostaria de fazer regularmente. Se houver muitas derrotas, não importa, o objetivo é aprender para progredir ainda mais rápido.

P2 em Bordeaux, uma possibilidade?

Se falamos de classificação, impossível. Depois Dorian treina lá, para ver se jogamos bem e se conseguimos ter um wild-card. No momento estamos muito longe disso e admito que ainda não pensei nisso.

Vincent Gallie

Adepto do futebol oval, da bola redonda mas também dos desportos de raquete, foi picado pelo padel durante a sua adolescência na Galiza. Tão confortável na frente da câmera quanto atrás de um microfone, Vince poderá trazer sua visão e experiência como torcedor da bolinha amarela.