Padel Magazine - Se solicitados a resumir essa raquete em duas palavras, poderíamos descrevê-la como surpreendente e paradoxal [destaque]. [/ Destaque]

1 / Uma raquete muito estável

O piton é uma raquete que pode encontrar um público muito grande. Mas são os amadores experientes que poderão lucrar mais com isso.

Primeiro, a aderência é quase imediata. É equilibrado e permite adaptar-se rapidamente.

2 / "Um olhar que jogar "

Em termos de visual, nada a relatar. No preto, podemos dizer que atira sem ser chamativo.

O platô é redondo. Ele é muito jogador, e seu manuseio é digno de nota.

No entanto, tome cuidado para não centralizar demais, porque, ao contrário do Power Padel 2000, o Piton não deixará de ligar para você para fazer o pedido.

No lado do controle, nada a relatar, exceto o ponto levantado abaixo.

O poder está lá também. Além disso, podemos notar que esta raquete combina perfeitamente manuseio e potência. Fotos curtas no fundo podem sair muito rapidamente.

Em conclusão, esta raquete é merecida.

Tem um potencial muito importante.

Sua aderência e manobrabilidade não têm nada a invejar para seus concorrentes, mas cuidado com os jogadores que jogam com mais frequência com a borda do tabuleiro, porque o Piton o picará.

Os próximos dois testes no Black Crown são mais suaves e menos técnicos.

Franck Binisti

Franck Binisti descobre o padel no Pyramid Club em 2009 na região de Paris. Desde então padel faz parte de sua vida. Você costuma vê-lo em turnê pela França, cobrindo os grandes eventos franceses de remo.