Delfina Brea e Beatriz Gonzalez são coroadas rainhas de Sevilha. As “Superpibas” jogaram contra Ariana Sanchez e Paula Josemaria (6/1 – 6/1).

Um primeiro conjunto unilateral

Após a recuperação fantástica na semifinal, Delfi Brea e Bea Gonzalez tinham presas. E ficou evidente desde o início com um início perfeito, enfrentando uma dupla Sanchez/Josemaria que rapidamente foi dominada. Mais agressivos, mais precisos que os adversários, Brea e Gonzalez escaparam das primeiras bolas. Fizeram com que suas qualidades falassem por si: entusiasmo, regularidade e eficiência ofensiva muito maior que a de seus rivais. Ariana Sanchez fez um set muito difícil, aumentando o número de erros não forçados (22 no total com o parceiro).

Uma explosão de orgulho antes da manifestação

Ao voltarem dos bancos, os dois espanhóis queriam mostrar uma cara mais conquistadora, embolsando o primeiro jogo. Mas definitivamente não era o dia deles. Paula Josemaria também desistiu e os números 1 mundiais ficaram irreconhecíveis. A dupla hispano-argentina não precisou de exercer o seu talento para triunfar aos 72 minutos, sob o sol de La Cartuja. Delfi e Bea conquistaram a 15ª vitória consecutiva, sinônimo do terceiro título da temporada.

Eles tentarão continuar sua série maluca na próxima semana, durante o P2 de Assunção ao Paraguai (13 a 19 de maio).

Foi através de seu pai que Auxence descobriu o padel, uma noite de junho de 2018. Hoje, ele acompanha apaixonadamente o circuito internacional e provoca o pala em seu clube de treinamento, Toulouse Padel Clube. Você também pode encontrá-lo em La Feuille de Match e LesViolets.com, dois meios de comunicação especializados no Toulouse Football Club.