Desta vez, é o certo para Franco Stupaczuk e Martin Di Nenno! Os “Superpibes” expulsam Paquito Navarro e Juan Lebron (7/5, 3/6, 6/3) e se classificam para a primeira final da temporada.

A maldição é levantada

O teto de vidro argentino é hoje uma história antiga. Depois de quatro semifinais consecutivas (Riade, Doha, Acapulco, Puerto Cabello) e uma eliminação nas quartas de final em Bruxelas, a dupla (finalmente) conseguiu ultrapassar a marca fatídica. Eles vão tentar vencer em sevilha seu primeiro troféu de 2024.

1 hora e 45 minutos de luta livre em La Cartuja

Esta semifinal masculina começou da melhor maneira e, sob a pressão do que estava em jogo, as primeiras tensões apareceram rapidamente. Juan LeBron e o árbitro discutiram… desde o primeiro jogo, o espanhol acusando-o de uma falta inexistente. "Ela era boa! Você está errado”, ele ficou com raiva.

Depois de um primeiro set muito acirrado, embolsado por Stupaczuk/Di Nenno, os dois espanhóis começaram o segundo set com perfeição. Agressividade, inspiração e um contundente 3 a 0 que os colocou em órbita desde o reinício. Navarro ganhou força, Lebron soube se canalizar e os dois sul-americanos começaram a sofrer.

Só que no terceiro set os “Superpibes” mostraram a sua coesão. Mais regulares e mais nítidos na hora, os dois amigos finalmente ganharam vantagem sobre seus rivais. Franco Stupaczuk (31 pontos de vitória, recorde da partida) finalizou com força.

Os vencedores do dia enfrentarão, amanhã, os vencedores do duelo Coello/Tapia – Chingotto/Galan.

Foi através de seu pai que Auxence descobriu o padel, seis anos antes. Hoje, ele acompanha com paixão o circuito internacional e provoca a pala em seu clube de treinamento, o Toulouse Padel Clube. Você também pode encontrá-lo em La Feuille de Match e LesViolets.com, dois meios de comunicação especializados no Toulouse Football Club.