Raymond Domenech participou na primeira edição do “Torneio de Celebridades”, organizado pela Lagardère Paris Racing e o Instituto Imagine. Ao microfone de Vincent Gallie, o ex-técnico dos Blues falou sobre esse novo esporte que adora.

Uma descoberta divertida

“É um esporte espetacular e muito gostoso de praticar, porque mesmo com um nível bem mediano dá para se divertir. Existe um lado lúdico que é a essência do desporto numa certa idade. Ouvi falar disso porque muitos “jogadores de futebol” se envolveram e perguntei “o que é isso?” ". Um dia tive a oportunidade de experimentar com alguns amigos. Rapidamente pegamos o jeito e isso nos permite jogar. Na verdade, comecei há um ano, jogando uma ou duas vezes por mês. É realmente um prazer e um hobby. »

Le padel, um suplemento para jogadores de futebol?

“Vejo uma ligação em relação às trajetórias, à antecipação. Os atacantes costumam fazer isso nas segundas bolas. A trajetória não é linear, pode ser desviada, é preciso antecipar os rebotes! Você não deve correr atrás da bola, e isso é bom para os jogadores de futebol. »

Tênis e padel, a mesma luta física

“É a superfície que faz a diferença. Costumo jogar no saibro e não tenho problemas nas panturrilhas ou nos joelhos. No tênis como no padel, pisamos muito, estamos sempre em contração e raramente relaxados. Mas não pode danificar mais os joelhos do que alguns esportes. »

Uma atividade que reúne ex-atletas

“Os atletas começam muito rápido e gostam, porque os tiram do ambiente normal. Não estamos em competição, viemos para nos divertir. Eles também têm a capacidade física porque aos 35 ainda estamos em boas condições! »

Foi através de seu pai que Auxence descobriu o padel, seis anos antes. Hoje, ele acompanha com paixão o circuito internacional e provoca a pala em seu clube de treinamento, o Toulouse Padel Clube. Você também pode encontrá-lo em La Feuille de Match e LesViolets.com, dois meios de comunicação especializados no Toulouse Football Club.