Presente no Garden Rennes no passado sábado para participar na 10ª etapa do Cupra Padel-Point Tour, o 9º francês Yann Auradou, concordou em responder às nossas perguntas sobre seu início de temporada, sua missão com a FFT e os próximos prazos.

” Manu saiu para um estágio na Espanha e quando voltou não era o mesmo “

Padel Magazine : Você teve um bom começo de temporada, pontuado por uma vitória em Mas de Perpignan ao lado de Manu Vives durante o mais recente P2000. O que mudou para Manu e você em seu jogo e mentalmente?

Yann Auradou : “Na realidade, não tivemos um bom início de temporada com o Manu. Ele estava voltando de lesão, então no começo foi um pouco complicado porque não fomos cabeça de chave nos sorteios. Não começamos muito bem.

Mas na verdade o que aconteceu foi que Manu saiu para um estágio na Espanha e quando voltou não foi a mesma coisa (risos). Em Perpignan perdemos um set no primeiro round, e depois foi simplesmente incrível: todos os golpes do Manu saíram, ele “defendeu o aço”, eu estava jogando muito bem também. Realmente tivemos um torneio excepcional, claro que aproveitamos um pouco as ausências, mas as ausências estão sempre erradas (risos), uma pena. Aproveitamos e ainda havia muito a vencer, nenhum time era fácil de vencer.

Jogamos muito bem e a vitória final foi ainda mais bonita”.

Yann Auradou (deitado) e Manu Vives durante sua vitória final no P2000 du Mas

Padel Magazine : Após esta prestigiosa vitória, aspira a outros sucessos deste "calibre"? 

Yann : “Sim, eu pretendo ganhar o P2000 nas Pirâmides, então é bom que você me faça a pergunta (risos). Sem mentir, se houver jogadores do calibre de Ben Tison que façam os torneios e/ou que venham com jogadores espanhóis pode ser muito complicado, porque ainda estão muito à nossa frente. Confio no meu parceiro e confio em mim mesmo, acho que podemos vencer grandes times em uma partida.

Estou muito confiante para o P2000 das Pirâmides, e para dizermos a todos que não foi um acidente ou uma surpresa no P2000 de Perpignan e que pretendemos permanecer entre os melhores.

O par Auradou-Vives ainda relevante em 2023!

Padel Magazine : Sabemos que Manu planejou fazer um trabalho freelance na Espanha para aperfeiçoar seu jogo, queríamos saber onde vocês dois estavam? O par Auradou-Vives ainda é relevante? 

Yann : ” A dupla continua relevante, lá vai ele para a Espanha, mas vamos ficar juntos para o P2000 e o campeonato francês de 2023. Sabendo que comecei com ele, ele foi muito mal classificado, mesmo que me ultrapasse com todo o seu treinamento bem. vai me dar a honra de ficar comigo (risos). Ele vai me pagar um pouco!

Claro que não faremos os P1000 juntos porque ele não voltará à França para todos os P1000s, mas de qualquer forma os P2000s e os campeonatos franceses estão planejados para serem feitos juntos."

” Criar mais trilhas e escolas de padel no norte "

Padel Magazine : Você é um membro da Missão Padel com o FFT. Como estão as coisas para você?  Para nossos leitores, você pode nos dizer o que seu trabalho envolve? 

Yann : “Muito concretamente a missão nasceu em janeiro, então no início muito geralmente tínhamos que chamar as ligas. O objetivo era realmente desenvolver a atividade dos jovens em toda a França. Lido principalmente com as regiões do norte, Christian Collange, meu colega, lida mais com as regiões do sul. No Sul, ele já trabalhava bem há alguns anos, então é um pouco mais fácil do que no Norte. Também há muito mais pistas no Sul do que no Norte, por isso é muito mais fácil criar eventos e escolas de padel juventude. É mais ou menos isso que estou tentando colocar em prática no Norte. Vai demorar um pouco mais, mas assim que começar, vai ser alguma coisa.

De qualquer forma, esse esporte agrada a todos, todas as gerações, e é por isso que funciona bem.

Padel Magazine : Do seu ponto de vista muito mais interno, você sente uma certa evolução do padel francês, com destaque para a primeira edição do Greenweez Paris Premier Padel Major em Roland Garros?

Yann : “Este evento em Roland-Garros foi incrível. O fato de ele estar na TV é algo obviamente muito importante. Certamente o padel não passa (ainda) nos canais públicos, lá passa no Canal + (para daqui a um ano) e só isso já permite realmente desenvolver a atividade.

Eu sei que este torneio será renovado e acho que em algum momento o padel estará na TV regularmente junto com outros esportes que ocupam a frente do palco, talvez não apenas no Canal +, mas em algum momento também nos outros canais. "

O número de faixas de padel : a chave para alcançar países como Espanha, Itália ou Suécia

Padel Magazine : O que você acha que é a chave para o padel na França pode passar neste curso e se tornar um esporte tão popular quanto na Espanha, Itália ou Suécia, por exemplo?

Yann " Se tomarmos o exemplo da Suécia, Itália e/ou Espanha, as pistas de padel lá crescem muito mais rápido. Eles constroem a uma velocidade incrível. Isso é realmente o que está faltando hoje, demora um pouco mais na França.

Ele virá, mas estamos um pouco atrás desses três países e acho que também não devemos ficar muito atrás deles.

O cupra Padel-Point Tour, “Isso realmente afeta todos e todas as gerações!”

Padel Magazine : Hoje nos encontramos no Jardim de Rennes como parte da Cupra Padel-Point Tour, como foi a conexão com você? O que esse circuito te inspira? 

Yann : “Então eu já sabia disso através do meu patrocinador, que é ninguém menos que Wilson. Como o Cupra Padel-Point Tour é patrocinado pela Wilson também, obviamente ajuda saber sobre grandes eventos como este.

Eu tinha feito o P500 e a exposição nas Pirâmides, Melissa me perguntou se eu queria fazer e eu aceitei com prazer. O que eu acho ótimo é que está muito bem organizado, é uma verdadeira mudança em relação aos torneios P1000 que, de tempos em tempos, apresentam falhas organizacionais. O evento traz as pessoas de volta, não são apenas as partidas de padel : há muitas animações por aí, e é disso que eu gosto. O que também é bom é que isso não afeta apenas a elite: existem torneios P100/P500, então realmente afeta todos e todas as gerações. ! "

Yann Auradou Melissa Martin Cupra PPT Rennes
Yann Auradou e Melissa Martin durante a Cupra Padel-Point Tour Rennes

” Eu sou o 9º francês e há apenas 8 que estarão na lista "

Padel Magazine : Os próximos meses serão pontuados por grandes eventos como o P2000 des Pyramides, o campeonato francês... mas queria voltar com vocês para o Mundial no Qatar. Você acha que pode reivindicar um lugar entre os 8 selecionados?  

Yann : “Eu tenho o nível? Meu ego me diz que sim (risos). Não, faz muito tempo que não enfrento alguns, porque agora eles fazem FIPs e vêm muito menos para os grandes torneios franceses. Então espero ver um pouco no P2000 (das Pirâmides) para me comparar a eles. Para ser honesto, tive o nível no ano passado, acho que poderia ter estado lá. Este ano... é complicado porque os caras estão investindo mais do que eu: eles têm mais tempo, fazem FIPs, jogam jogadores que jogam em um nível muito mais alto do que você pode encontrar na França. Eles exigem experiência… e então eu sou o 9º francês e há apenas 8 que estarão na lista. Portanto, seria lógico que os primeiros 8 fossem escolhidos.

Não tenho nada mais do que eles, bem, acho que não… em todo caso, espero que a seleção francesa seja a 8ª melhor selecionada. Depois, se houver alguém lesionado, ou que não se sinta bem, é claro que o treinador pode contar comigo e estarei a 2000% para representar o meu país!”

Nasser Hoverini

Apaixonado por futebol, descobri o padel em 2019. Desde então, tem sido um amor louco por esse esporte a ponto de abandonar meu esporte favorito.