Direção Espanha para o gibão Boronad / Fonteny. Os dois dotados padel Os franceses, que voltaram dos treinos com a seleção francesa, se preparam para viver uma experiência completamente nova em terras catalãs. Antes da sua partida, os dois jogadores nascidos em 2007 confidenciam em particular sobre a sua cumplicidade, as suas ambições e o seu início no padel.

Vocês dois estão voltando de lesão, estão 100%?

Timéo Fonteny: “Tive periostite nas pernas, durou duas semanas e por isso não estive em boa forma durante o curso.”

Yoan Boronad: “Me machuquei em janeiro. Quebrei o pé direito quando caí feio, causou uma fratura por estresse que durou dois meses e meio. Mas agora está tudo bem.”

Como você descobriu sobre o padel ?

TF: “Foram os meus pais que me apresentaram este desporto. Um clube abriu perto da minha casa quando eu tinha 10 anos. Eu estava jogando tênis na época, mas fiquei fisgado depois de dez minutos. No começo eu via isso como um hobby, depois vi que estava progredindo e comecei a fazer torneios.”

YB: “Joguei tênis no clube Mas em Perpignan. Fiz um pouco dos dois ao mesmo tempo e, em 2019, fui selecionado para ir ao Campeonato Regional Francês. Gostei muito de competir com jovens da minha idade. Meu tio e meu pai já estavam brincando padel, eles eram o 40º e o 50º francês.”

Como vocês se conheceram?

TF: “Nos conhecemos pela primeira vez no Campeonato Francês de Seleções, em 2019. Enfrentamos um ao outro na final! Naquele ano, também fomos selecionados para competir no Campeonato Mundial Sub-12.”

YB: “Tínhamos apenas 12 anos. Um ou dois anos depois, estávamos na seleção do México e nos dávamos muito bem.”

Boronad Fonteny Juventude Valência 2022

Além do Mas, você também está perto de Academia Nox de Barcelona, ​​​​onde Libaak, Augsburger e Tapia treinam em particular…

YB: “Já estou lá há três semanas, mas isso não é nada em um ano e meio. Estamos em Perpignan em tempo integral com Alain Henry, mas a partir de 2 de junho vamos morar na casa Nox em Barcelona, ​​​​a Nox Future Academy (NFA). Você definitivamente tem que passar por isso. Faltam sparrings aqui, realmente não temos jogadores suficientes para jogar em alto nível. Isso é sentido no FIP, onde seguramos um set antes de desistir fisicamente. A principal mudança será na intensidade.”

Você também voltou de um estágio na seleção francesa, conte-nos…

YB: “Jogamos com jogadores melhores do que nós, que nos dão muitos conselhos. Ben (Tison) e Pablo (Ayma) foram ótimos. Estou feliz comigo mesmo, Timéo também.”

TF: “Este ano acho que vai ser complicado fazer parte dos 8, mas porque não no próximo ano.”

YB: “Não me sinto legítimo para a competição de julho, alguns merecem muito mais que eu, mas para novembro vou tentar estar na luta. Se os selecionadores acharem que não tenho o meu lugar, entenderei perfeitamente, e se decidirem contar comigo, farei o meu melhor.

O P2 de Bordeaux, Roland-Garros…

TF: “Solicitamos wild-cards para o P2 em Bordeaux e para Roland-Garros. Teremos que provar e conquistar bons resultados nos próximos torneios para merecer a nossa vaga. Nas próximas semanas, iremos alinhar-nos com o P1500 em Sète, depois com o FIP Rise em Hamburgo. Quando estivermos em Barcelona, ​​tentaremos voltar para o P2000 e o P1500, priorizando os torneios internacionais.”

No cenário internacional, quem são seus modelos? 

TF: “Gosto muito de Agustin Tapia e Alejandro Galan. Tapia tem um talento louco, enquanto Galan é muito completo.”

YB: “Eu gosto mais de Martin Di Nenno. Um ratinho que vai a todos os lugares, que sempre faz o contra-ataque na defesa, que não comete erros.”

O jogador mais impressionante durante o treino?

TF: “Bastien Blanqué realmente me impressionou. Ele leva tempo em todas as bolas, tem uma expectativa monstruosa e fisicamente está em todo lugar.”

YB: “O mesmo para mim. Ele é enorme por causa de seu nível de jogo e de sua atitude. Sabemos que ele é um grande executivo, está lá há muito tempo. Ele incentiva durante todo o curso, joga minuciosamente cada ponto, dá conselhos o tempo todo. Eu realmente o achei acima dos demais.”

Conquistado pelo Nox AT10 Luxo Gênio 12K...

TF: “Antes eu brincava com o “Hack03” do Bullpadel. Quando experimentei a raquete no Nox, me apaixonei imediatamente por ela. Tem de tudo: dureza e manobrabilidade. Tive até melhores sensações ao bater do que com a minha raquete antiga, que tinha mais peso no cabo.”

YB: “Joguei com o AT Attack, em formato de diamante. Percebi que brincar com uma raquete prática realmente mudou tudo. É ótimo ter equilíbrio no centro para poder fazer de tudo um pouco. Pegamos as raquetes mais leves (360-365 g). Se for um pouco pesado e difícil de controlar no final da pista, no final você perde muitos pontos.

Na Nox tem muitas outras raquetes muito boas, eu poderia jogar com todas as de Luxo. O calçado também é muito bom, super leve, super confortável!”

A entrevista na íntegra:

De referir que para a sua nova aventura, Timéo e Yoan procuram novos patrocinadores, se estiver interessado numa colaboração com estes dois jovens jogadores, não hesite em enviar um email para: contact@team-up-talents.com.

Foi através de seu pai que Auxence descobriu o padel, uma noite de junho de 2018. Hoje, ele acompanha apaixonadamente o circuito internacional e provoca o pala em seu clube de treinamento, Toulouse Padel Clube. Você também pode encontrá-lo em La Feuille de Match e LesViolets.com, dois meios de comunicação especializados no Toulouse Football Club.