Jérôme Inzerillo, atual 7º jogador francês, esteve presente durante o Final da Copa Masters Padel-Point Tour. Participando do P500 da etapa, ele concordou em voltar conosco em suas novidades do momento.

“Os jogadores franceses melhoraram muito”

Padel Magazine : O P2000 de Pirâmides acabou de terminar, que conclusões você pode tirar da competição em geral?

Jerome Inzerillo : “O nível geral foi bastante interessante. Gostei muito de dividir a pista com o Johan (Bergeron), é verdade que foi o primeiro torneio que jogamos juntos. Depois, a nível geral, acho que os jogadores franceses progrediram muito: acho que é devido ao número de torneios que existem na França… mesmo que não haja muitos P2000s.

Nem todos nos encontramos este ano em outro lugar no P2000, exceto talvez durante o de Padel Horizonte. É uma pena, mas também por causa da agenda lotada do FIP, do WPT, do APT.

É um bom sinal se tivermos a oportunidade de jogar todas as semanas."

apto padel torre jerome inzerillo

Padel Magazine : Pudemos ver que os pontos contenciosos fizeram parte da “dramaturgia” desta decisiva 3ª rodada na final do P2000 des Pyramides. Olhando para trás, como você analisa essa situação?

Jérôme : “É parte do jogo, e é algo que acontece no momento. Não há ressentimentos da minha parte, depois podemos brigar tudo isso... mas nunca há nada de ruim. Colocamos o ponto de volta, depois que havia outros dois pontos controversos. Para mim não há problema, você tem que diferenciar o que está acontecendo em campo e o que está acontecendo fora.

“Meu comp é Jesús Ruiz”

Padel Magazine : Você tocou ao lado de Jo Bergeron na semana passada (pela primeira vez). Mas você também jogou esta temporada com Jesús Ruiz, Max Moreau, Exequiel Mourino, para citar alguns. Jérôme Inzerillo tem atualmente uma compi “registrada”?

Jérôme : “Será surpreendente, mas sim, eu tenho uma composição titular (risos)! Começamos a segunda metade da temporada com Jesús Ruiz. Mas o problema é que há muitas restrições: você tem que ter o mesmo horário, os mesmos desejos ao mesmo tempo, então isso é bem complicado. Meu comp é Jesús, mas assim que ele não puder eu tenho que encontrar outro parceiro de qualquer maneira.”

Seu recorde para a temporada atual

Padel Magazine : Estamos passando da fase de meio de temporada, mas do seu ponto de vista, como você avalia sua temporada até agora?

Jérôme : “Então sim, claro, tenho áreas para melhorias em todas as áreas. Em termos de jogo, tenho muitas coisas para trabalhar. De qualquer forma, sempre temos algo para trabalhar. Em termos de progressão, a ideia é focar em tudo que é voleio, defesa, etc.

Minha temporada, considero muito boa, depois de ter perdido muitos torneios: parceiros que se machucaram ou, por exemplo, Jesús que me colocou em 2-3 torneios super importantes.

Acho que poderia ter feito outra temporada se tivesse feito todos esses torneios, principalmente em termos de classificação: porque me faz perder muitos pontos... , finais, etc Muitos bons resultados, mesmo que eu tenha perdido 2-3 vitórias importantes para ultrapassar um marco.

Espero que no final da temporada se estabeleça, e por que não buscar um título?

Jesus Ruiz Jerome Inzerillo Meia-final Utrecht 2022
Jérôme Inzerillo (à direita) com seu parceiro espanhol Jesús Ruiz.

Com Maxime Forcin durante o campeonato francês para “obter um bom resultado”

Padel Magazine : Você tem grandes prazos chegando, mas eu queria voltar com você para o campeonato francês que se aproxima a uma velocidade vertiginosa. Com quem você vai jogar? Você estabeleceu metas para si mesmo?

Jérôme : “Vou jogar com Maxime Forcin, qualificamo-nos para a liga da Normandia. Começamos juntos no ano passado, quando ele me ofereceu o projeto. Achei que ele estava jogando muito bem, depois disso não tivemos a chance de jogar muitos torneios. Mas já ganhamos um torneio, jogamos bem e fizemos boas partidas... Agora, dizer que vamos ganhar o campeonato francês, não tenho certeza, mas de qualquer forma vamos para obter um bom resultado, dê tudo de si e depois veremos como corre."

A seleção francesa: “Acho que tive uma boa temporada para estar lá”

Padel Magazine : A seleção francesa, com o mundial no final do ano, você pensa nisso?

Jérôme : "Eu gostaria ! Na continuidade do ano passado e na boa temporada que tivemos na seleção da França. Já faz um ano, é o segundo ano... Acho que tive uma boa temporada para estar lá, depois disso nunca se sabe. Há um estágio em 15 dias, você terá que ser bom durante este estágio, dar tudo de si e as escolhas, caberá ao treinador fazê-las. Mas de qualquer forma, se ele me escolher, estarei 200% com o time e atrás do time se não jogar. “

Padel Magazine : Sabemos que você está muito investido fora das pistas de padel, você pode nos contar sobre suas novidades?

Jérôme : “Faço muitas coisas fora da quadra: tenho uma academia de tênis onde treino três crianças, posso ter mais duas, o que significa muitas horas na quadra. dou aulas particulares padel também ; Comecei um novo trabalho como agente em uma agência chamada K2M: ajudo jogadores de padel encontrar parceiros patrocinadores para que eles também possam sair com algo para fazer em termos de dinheiro.

E acabamos de abrir um site especializado na organização de padel no exterior com um primeiro estágio em dezembro em Marbella. Haverá 5 ou 6 no próximo ano, em lugares que mudarão da Espanha: talvez Hungria, Croácia... padel mas também descobrir novos destinos. Nós não apenas fazemos padel durante esses cursos, descobrimos cidades, novas culturas, etc.”

O cupra Padel-Point Tour : “Para mim o padel, é esse tipo de evento”

Padel Magazine : Você participou do P500 da master final deste Cupra Padel-Point Tour. É certo que hoje nos encontramos em um cenário ainda mais bonito do que o habitual, mas o que esse circuito te inspira?

Jérôme : “Acho que é uma coisa boa para o esporte e para o desenvolvimento do esporte. Para jogadores amadores descobrirem um ambiente profissional, é realmente ótimo. Acompanho o Tour desde o início e acho que vir aqui há uma boa atmosfera, que é uma maneira maravilhosa de as pessoas poderem interagir com jogadores profissionais.

Para mim o padel, é exatamente esse tipo de evento. Bom humor, simpatia, jogos e festas, acho que este aspecto social beneficia o padel. "

Nasser Hoverini

Apaixonado por futebol, descobri o padel em 2019. Desde então, tem sido um amor louco por esse esporte a ponto de abandonar meu esporte favorito.