Como dissemos algumas semanas atrás, os torneios de padel fauteuil agora são aprovados pela FFT. Assim, é possível organizar torneios de padel cadeiras de rodas femininas, masculinas ou mistas nas categorias P25 e P100. No entanto, é necessário ter pelo menos 4 pares inscritos por evento.

Para melhor adaptar a prática, existem algumas regras específicas.

No jogo

  • Dois rebotes são permitidos antes de cada golpe
  • Mudanças de lado são feitas no final de cada set ou a critério do árbitro, dependendo das condições de jogo
  • Se, após rebater a bola, um dos pares tocar o próprio jogador, seu parceiro ou qualquer objeto que esteja carregando, perde-se o ponto. A cadeira de rodas é considerada parte do corpo do jogador, portanto também não pode ser tocada.

Para o serviço

O jogador deve manter a(s) roda(s) dianteira(s) atrás da linha de saque e não cruzar a linha imaginária que segue a linha central. É possível que o sacador use a raquete para rebater a bola ao sacar, caso tenha dificuldade em fazê-lo com a mão. Ao sacar, o jogador deve acertar a bola abaixo dos ombros.

Durante o saque, o jogador não pode mudar de posição movendo ou girando. No entanto, existe uma tolerância no caso de pequenos movimentos das rodas que não afetem a posição inicialmente adotada. Jogadores de cadeira de rodas não podem sacar em movimento.

O sacador marca um ponto se tocar diretamente o recebedor que está dentro da zona de saque. No caso contrário onde, no saque, a bola toca um recebedor que está fora do quadrado de saque, a bola é considerada falta. O jogador que retorna deve esperar que a bola quique na área de recebimento do saque e bater na bola antes que ela quique no chão pela terceira vez.

Finalmente, a bola é considerada falta se rebater na caixa de saque do adversário e tocar a cerca antes do terceiro rebote. Também é uma falta se a bola quicar uma ou duas vezes no quadrado de recebimento de saque e sair diretamente pela porta.

O serviço é considerado como um let e, portanto, deve ser refeito se:

  • a bola não toca a raquete ou se a bola toca as pernas ou a cadeira do sacador antes de ser atingida pela raquete.
  • a bola atinge a rede ou os postes e depois cai na caixa de saque do recebedor, desde que não atinja a cerca antes do terceiro quique.

Regras especiais

É proibido ao jogador perder o contato com a cadeira de rodas. Desde o início, é obrigatório ancorar os pés e a cintura do jogador com cintos, tiras ou trilhos. Portanto, não é permitido esfregar o pé contra o chão da quadra com a intenção de frear ou impulsionar-se voluntariamente.

Não é possível que um jogador em cadeira de rodas deixe o campo. Isso se explica pela impossibilidade de passagem se o acesso ao terreno respeitar o padrão convencional de abertura máxima de 0,82 m. Por outro lado, seria praticamente impossível o jogador não acertar a trave ou a rede na saída, perdendo o ponto.

No entanto, um passeio em uma pista com características especiais ainda pode ser considerado. Nesse caso, ainda seria necessário respeitar a regra do “terceiro salto”.

Para quem quiser encontrar essas regras FIP em sua versão original, isso acontece AQUI !

Thomas Jay

Depois de quase 15 anos arrasado pelo tênis, virei fã absoluto de seu primo, o padel. Há quase um ano venho perseguindo a bolinha amarela com outra raquete, mas com a mesma paixão! Com sede em Lyon, pretendo que você conheça melhor o padel na região e a nível nacional.