Thierry Omeyer, o emblemático goleiro da seleção francesa de handebol passava por P2000 das Pirâmides. Ele foi ao microfone do Padel Revista.

Thierry Omeyer: Gosto de jogar padel nas pirâmides. Estou me divertindo muito e meu objetivo agora é tentar melhorar.

FB: Podemos encontrar alguma semelhança entre a mão e o padel, principalmente no footwork?

TO: No padel, nem sempre você tem que tentar bater forte, há muitos touchdowns. Em termos de footwork, existem muitas semelhanças com a posição do goleiro de handebol que é muito jogado em pequenos suportes. No padel, são os pequenos degraus de ajuste que permitem estar bem colocado em relação à bola. Isso me permite manter minha condição física.

FB: Em vez de vela, lob ou 3?

PARA: Tento dominar todos os tiros. Eu entendi que o lob é um ataque real, então tento trabalhá-lo.

Lorenzo Lecci López

Pelos seus nomes, podemos adivinhar suas origens espanholas e italianas. Lorenzo é um poliglota apaixonado pelo esporte: jornalismo por vocação e eventos por adoração são suas duas pernas. Sua ambição é cobrir os maiores eventos esportivos (Jogos Olímpicos e Mundos). Ele está interessado na situação dos padel na França e oferece perspectivas para o desenvolvimento ideal.